Dança Cotidiano Vertical – Danças de amor e morte entre dois e outras esperas

Prazo para captação:

De 01/06/15 até 01/06/16

Descrição

É um espetáculo inédito de dança aérea do Grupo Ares inspirado no livro Amor Líquido, de Zygmunt Bauman, e versa sobre as relações afetivas no mundo contemporâneo.

Quem Incentiva

Valor autorizado para captação:

R$ 406.626,00

Resumo

É um espetáculo inédito de dança aérea do Grupo Ares inspirado no livro Amor Líquido, de Zygmunt Bauman, e versa sobre as relações afetivas no mundo contemporâneo.

Objetivo

Montagem do espetáculo inédito “Cotidiano Vertical – Danças de Amor e Morte entre dois e muitas esperas”.
Realização de 02 apresentações do espetáculo em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, e 01 apresentação em Florianópolis, Belo Horizonte, Salvador e Manaus, num total de 10 apresentações.
Realização de 07 ensaios abertos e gratuitos, sendo um em cada cidade onde o Grupo se apresenta.
Popularização da dança aérea.
Desenvolvimento de outros pontos de vista acerca do corpo em sua relação com a rotina do dia-a-dia através da apresentação de técnicas verticais.
Favorecimento do encontro de artistas com intensa experiência em danças aéreas para montagem de espetáculo inédito.

Nº do Diário Oficial

150501

Onde vai acontecer

São Paulo
Rio de Janeiro
Belo Horizonte
Florianópolis
Salvador
Brasília
Manaus

Data de realização

Não definida

Público

Estima-se um público de 3000 pessoas nas 10 apresentações e de 700 pessoas nos 07 ensaios abertos a serem realizados nas sete cidades contempladas no projeto.

Descrição

O espetáculo “Cotidiano Vertical – Danças de Amor e Morte entre dois e muitas esperas” é uma montagem inédita inspirada no livro Amor Líquido, de Zygmunt Bauman. Aqui as relações não têm profundidade, são efêmeras, frágeis e arriscadas na medida da sua volatilidade e também da necessidade de plateia para atos cotidianos, marca da vida orientada pelas redes sociais.
Com dramaturgia de Paulo Rogério Lopes e pesquisa orientada pelo filósofo George Barcat, do Instituto Palas Atenas, o espetáculo aborda o amor e sua vivência cotidiana sobre outra perspectiva. O público é convidado a experienciar diferentes pontos de vista a partir da criação de ambientes suspensos, onde objetos e elementos da mobília cotidiana são fixados nas paredes, provocando certo desequilíbrio sobre a rotina no dia-a-dia. Os movimentos cotidianos como comer, tomar banho, assistir TV, ler, fazer amor e vivenciar o eu e o outro são apresentados sob outro prisma.
Neste ambiente deslocado será criada a coreografia, calcada em técnicas de danças verticais e acrobacias aéreas. Os artistas estarão suspensos no ar e o cenário vertical, afixado na parede, representará o lar onde o casal desenvolve o drama de um amor cujas individualidades são por vezes mais importantes que os laços afetivos.
A música e o movimento darão a tônica da encenação, que contará com poucas falas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *