Teatro ESPETÁCULO – A FEIRA

Prazo para captação:

De 18/01/18 até 01/10/18

Descrição

A proposta é realizar uma temporada de dois meses do espetáculo “A FEIRA”, cujo texto é da dramaturga brasileira Lourdes ramalho. A obra possui caráter regionalista e se passa no sertão nordestino.

Quem Incentiva

Valor autorizado para captação:

R$ 340.755,55

Resumo

A proposta é realizar uma temporada de dois meses do espetáculo “A FEIRA”, cujo texto é da dramaturga brasileira Lourdes ramalho. A obra possui caráter regionalista e se passa no sertão nordestino.

Objetivo

O objetivo principal é a montagem de uma obra rica em tradições nordestinas, a ser encenada na cidade de São Paulo com temporada de dois meses e ingressos vendidos a preços populares, em horário convencional ou alternativo (dependendo da disponibilidade de pauta dos teatros), em sessões noturnas. Conviver com a tragédia de forma cômica é uma característica muito forte nordestina e se reflete na forma de escrever de Lourdes Ramalho. Falar de problemáticas reais da sociedade, a partir do universo, da poesia, do sotaque específico característico do povo nordestino é contar com alegria ainda que seja riste a história de um povo que sofre.

Nº do Diário Oficial

179499

Onde vai acontecer

São Paulo, SP, Brasil

Data de realização

Não definida

Público

A montagem do texto da dramaturga, escritora e poeta Lourdes Ramalho na temporada do espetáculo “A FEIRA” por dois meses na cidade de São Paulo tem como objetivo levar cultura a preço populares beneficiando assim todas as classes sociais e promover uma democratização do acesso à cultura.

Descrição

Este projeto tem como base um texto escrito por uma brasileira nordestina, de família tradicional. Totalmente ligada ao universo artístico por meio da musica, da fala e da escrita. Neste contexto, é com maestria e propriedade que desenvolveu a narrativa desta história que queremos contar em São Paulo. Uma narrativa que traz a realidade de uma família pobre do interior do nordeste privada de direitos básicos e essenciais à vida humana, como alimentação, saúde e educação, que ao irem à feira da cidade se deparam com outras vidas, algumas em situação semelhante e se veem diante da coisificação do ser humano, do capitalismo e suas consequências, da criminalidade, da corrupção e a prostituição infantil. Da miséria em sua totalidade. As questões trazidas por esta peça não são exclusivas do nordeste brasileiro, mas também presentes em todo o país e no mundo. Porém, o Sudeste concentra a maior parte dos recursos deste país de dimensões continentais e habitado por seres humanos muitas vezes esquecidos. Trazer estas provocações é refletir questões que são próximas e existentes no sudeste também, porém que são muito acentuadas onde não há tantos recursos. Outra questão é que se torne mais presente a cultura do povo nordestino que é a riqueza, é memória viva e é parte de um Brasil maior que é o conjunto de seus estados, com suas próprias características culturais e sociais. É se fazer conhecer mais um povo que também vive no sudeste, que veio em busca de melhores condições de vida, trabalhadores do cotidiano da vida desta grande metrópole e estado que é São Paulo. O indivíduo que não conhece sua própria cultura se torna cada vez mais desprovido de propósito e alienado do poder de transformação que cada um possui.

Download e material complementar

Logomarca exposta no banner do espetáculo; Logomarca exposta nos convites do espetáculo; exposição da marca em comerciais radiofônicos; exposição da marca do patrocinador em ações de divulgação do espetáculo em mídias digitais e redes sociais; uma porcentagem dos ingressos serão destinados a patrocinadores, conforme suas cotas de patrocínio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *