Cinema Monstros do Ringue

Prazo para captação:

De 27/03/12 até 31/12/13

Descrição

O Documentário Monstros do Ringue vai contar a história do telecatch no Brasil, resgatando histórias do passado, e relatando o momento atual com as equipes: Gigantes do Ringue, Trupe do Trovão e BWF.


Quem Incentiva Pessoa Jurídica Pessoa Física

Região BR

Tipo de imposto abatido IR

Valor autorizado para captação:

R$ 1.082.580,00

Resumo

O Documentário Monstros do Ringue vai contar a história do telecatch no Brasil, resgatando histórias do passado, e relatando o momento atual com as equipes: Gigantes do Ringue, Trupe do Trovão e BWF.

Objetivo

O objetivo é realizar um documentário de longa metragem para cinema.
A luta livre (que não deve ser confundida com a luta livre olímpica), também conhecida como telecatch, é um espetáculo cênico com regras próprias. As lutas combinadas, com golpes coreografados, movimentos plásticos, saltos e quedas acrobáticos, deixam evidente que não se trata de uma luta convencional. A lógica de um maniqueísmo em certa medida infantil, e as rivalidades entre os lutadores são os elementos dramáticos que impulsionam o show. O Brasil é considerado o quarto país onde a luta livre desfruta de maior popularidade, após EUA, Japão e México. Se a profissionalização da luta livre no país hoje é incipiente, ela está incrustrada no imaginário do povo brasileiro, e foi um dos pilares da cultura de massa no auge da popularidade, nas décadas de 1960 e 70, alavancando a audiência das TVs, com personagens como Ted Boy Marino e Aquiles. O documentário Monstros do Ringue pretende contar a rica história da luta livre no Brasil, resgatando figuras e histórias do passado, com extensa pesquisa de material de arquivo, e retratando o presente, onde as três principais equipes são a Gigantes do Ringue, empresariada por Michel Serdan, a Trupe do Trovão e a BWF, dirigida por Bob Júnior.

Nº do Diário Oficial

11-0486

Onde vai acontecer

SP: São Paulo

Data de realização

Não definida

Público

Participantes, amantes e pessoas interessadas em saber mais sobre a Luta Livre Brasileira.

Descrição

O Brasil é considerado o quarto país onde a luta livre desfruta de maior popularidade, após os EUA (onde é conhecida como pro-wrestling e movimenta milhões de dólares, tendo como a principal associação a WWE, e principal ícone Hulk Hogan), Japão e México (onde destaca-se o mítico El Santo, eternizado com sua indefectível máscara).

O grau de profissionalização da luta livre no Brasil não se compara à desses outros países, especialmente dos EUA, mas ela está incrustrada no imaginário do povo brasileiro. Também conhecida como telecatch, foi um dos principais pilares da cultura de massa televisiva no auge de sua popularidade, nas décadas de 1960 e 70.

Desde sua estréia em 1959 na TV Tupi, a luta livre brasileira passou pelas TVs Record, Excelsior, Bandeirantes, Cultura, Globo e Gazeta. Em 1969, pelo que foi avaliado como excessiva violência de algumas lutas (por vezes aconteciam sangramentos voluntários ou não), o coronel Aloysio Muhlethaler, Chefe do Serviço de Censura da Polícia Federal, proibiu a exibição de telecatch na televisão antes das 23 horas, o que causou gradativo declínio de sua popularidade no decorrer dos anos 1970.

Hoje a Luta livre Brasileira é representada principalmente por 3 associações, Gigantes do Ringue, gerida pelo lendário Michel Serdan, Trupe do Trovão, e BWF, gerida por Bob Junior, filho do lendário lutador Bob Léo. A partir das histórias e cotidianos desses 3 grupos, e do uso de imagens e fotos de época, o documentário contará a trajetória e desenvolvimento da Luta Livre Brasileira até os dias atuais.

O projeto conta também com outras Leis de Incentivo em que foi aprovado:

  • ANCINE (artigo 1A lei 8.685/93): R$ 313.719,00
  • PROAC (Lei Estadual – SP): R$ 600.000,00
  • Lei Mendonça: R$ 111.000,00

TOTAL: R$ 1.082.580,00

Já captado:

  • PROAC (Lei Estadual – SP): R$ 447.000,00

1 – Logomarca da empresa no início do documentário;

2 – Logomarca da empresa nos créditos finais;

3 – Logomarca da empresa em todo o material gráfico e promocional (cartazes, flyer de divulgação, site do filme, convites de pré-estréia, entre outras….);

4 – Logomarcada empresa no trailer do documentário;

5 – 20 convites duplos para a pré-estréia do filme;

6 – Apresentação do filme em local e data pré estabelecida pela empresa, na cidade de São Paulo, com a presença do diretor e produtor para debate após a sessão.

7 – O produtor e diretor do documentário se comprometem a mencionar o nome da empresa como patrocinadora do filme em todas as entrevistas dadas durante o período de comercialização e lançamento do filme.

8 – Será cedido para a empresa os direitos da obra para a confecção de 1.000 DVDs, estes, produzidos e distribuídos pela própria empresa patrocinadora.

*As contrapartidas oferecidas variam com o valor aporte feito pelo patrocinador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *