Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/queroincentivar/www/wordpress/wp-content/themes/qi/single-project.php on line 67
Núcleo de Desenvolvimento Esportivo de Mogi Guaçu – Futebol Feminino

Descrição

Promoção de um núcleo esportivo e social com foco na promoção do futebol feminino em Mogi Guaçu.

Quem Incentiva Pessoa Jurídica Pessoa Física

Região BR

Tipo de imposto abatido IR

Valor autorizado para captação:

R$ 600.142,42

Resumo

Promoção de um núcleo esportivo e social com foco na promoção do futebol feminino em Mogi Guaçu.

Objetivo

Objetivo Geral:
. Promoção de um núcleo esportivo e social com foco na promoção do futebol feminino em
Mogi Guaçu.
Objetivos Específicos e Complementares:
Oferecer prática esportiva de qualidade voltada para o futebol feminino, na cidade de Mogi
Guaçu;
Capacitar recursos humanos no âmbito da pedagogia do esporte, em especial na
perspectiva do esporte educacional;
Promover a difusão do conhecimento e conteúdos do esporte, convergindo o
conhecimento teórico e prático produzido por este projeto para imediata aplicação na
comunidade esportiva local;
Apoiar a geração de emprego e renda através da mobilização dos recursos humanos do
esporte, presentes no mercado local;
Incentivar e desenvolver um centro de promoção do futebol feminino no Brasil, sem os
vícios envolvidos nesta modalidade, respeitando se às jovens envolvidas no projeto;
Democratizar o acesso à prática e à cultura do esporte como instrumento educacional;
Conscientização de que a prática esportiva é uma atividade necessária ao bem estar
individual e coletivo;
Disponibilizar recursos humanos qualificados para coordenar e ministrar as atividades
esportivas;
Contribuir para a redução da exposição de crianças e adolescentes às situações de risco
social;
V. OBJETIVOS – Citar o OBJETO do projeto e apresentar de forma clara e objetiva o que
se pretende alcançar com o seu desenvolvimento.
VI. METODOLOGIA – Descrever e detalhar o desenvolvimento, execução e a
metodologia aplicada em todas as atividades do projeto. Apresentar as fases de
execução do projeto, constando cronograma de atividades com períodos de cada ação.
Grade horária, constando modalidades, nº de turmas, quantitativo de beneficiários por
turma, freqüência semanal, de acordo com turnos e faixas etárias. Quadro de horário dos
profissionais com freqüência semanal, detalhando as atribuições de cada um. Apresentar
os respectivos calendários dos eventos a participar ou a executar, especificando datas e
duração dos mesmos. Apresentar o critério de seleção dos participantes e dos
profissionais envolvidos. No caso de apresentação de quadros ou planilhas explicativas,
anexar ao projeto impresso a ser enviado ao Ministério do Esporte.
Sistematizar e divulgar métodos, processos e técnicas que visem o desenvolvimento do
esporte de base, estabelecendo um trabalho de referência dentro da área de educação
física e esporte;
Alimentar, através deste projeto, o banco de dados para o Programa de Descoberta de
Talento Esportivo do Governo Federal.

Nº do Diário Oficial

58701.001776/2009-76

Onde vai acontecer

SP: Mogi Guaçu

Data de realização

Não definida

Público

Qtd: 100 – Crianças – (0 a 12 anos).
Qtd: 100 – Adolescentes – (10 a 18 anos).

Descrição

Ao pensarmos na importância deste projeto para o desenvolvimento do esporte no país,

em especial na cidade de Mogi Guaçu, poderíamos levantar questões do tipo:

– Futebol é coisa para mulher?

– O futebol feminino é o igual ao futebol masculino?

– O futebol feminino deve ser treinado da mesma forma que o masculino, se pensado na

perspectiva de formação de base?

– É possível pensar em aprendizado técnico desportivo adequado para a mulher, levando

em conta suas especificidades fisiológicas, psicológicas, sociais e culturais?

Essas questões podem começar a serem respondidas a partir da análise de algumas

recomendações da Federação Européia de Psicologia do Esporte (1998), apresentadas a

seguir:

– As organizações esportivas precisam fazer com que todos os esportes sejam disponíveis

a todos os indivíduos, independentemente do sexo;

– Todos os envolvidos com a promoção esportiva precisam reconhecer que podem existir

barreiras psicológicas e deve-se trabalhar para minimizá-las;

– Os recursos disponíveis precisam ser igualitários por gênero;

– É preciso reconhecer que as necessidades dos participantes (homens e mulheres) no

esporte podem ser diferentes em alguns aspectos e similares em outros;

– A pesquisa é fundamental e precisa levar em consideração as necessidades de meninos

e meninas, mulheres e homens;

Não buscamos esgotar a discussão sobre todos os fatores sociais, culturais, biológicos e

psicológicos que devem estar presentes no planejamento de trabalho com uma equipe

feminina esporte. Porém a partir das recomendações apresentadas acima, percebe-se

que estas estão pautadas em algum ou alguns destes fatores.

Relacionamos alguns dos aspectos que foram levados em consideração na preparação

deste projeto:

– aspectos emocionais e motivacionais: a gestão de recursos humanos femininos em

qualquer área de trabalho, entre elas o treinamento esportivo, pressupõe a percepção de

características próprias ao sexo feminino. Uma delas, segundo Brandão e Casal (2003)

seria de que os homens estão mais orientados para a atividade competitiva do que as

mulheres. Além disso, Cortez, Cortez e Simões (2003) esclarecem que em atividades

vigorosas (como o treinamento de uma equipe de rendimento) a participação da mulher é

menor, ou podemos entender que tende a ser menor.

Em função deste quadro, neste projeto adotaremos procedimentos de acompanhamentos

VII. JUSTIFICATIVA (Por que se propõe o projeto, sua importância para o

desenvolvimento do esporte no País e/ou na região geográfica de execução e justifique a

conveniência de utilização de apoio financeiro com recursos incentivados de que trata a

Lei nº 11.438/06).

individualizados da participação no grupo, tentando manter os padrões de aderência e

motivação em num bom nível. Estratégias como reuniões de grupo e individuais

aconteceriam com freqüência. Uma definição clara de papéis e metas pessoais e para o

grupo, baseados em responsabilidades e aspirações pessoais serão fundamentais para o

trabalho.

– aspectos fisiológicos: Atualmente são vários os estudos sobre a fisiologia da mulher e a

sua relação com a atividade física e esportiva. Cortez, Cortez e Simões (2003) nos

apresentam uma variada relação de aspectos anatômico-fisiológicos característicos da

mulher em comparação ao homem, como: menor estatura média, maturação mais rápida

do esqueleto,

ossatura mais fina, maior percentual de gordura corporal, diferenças do metabolismo,

menor massa muscular, menores dimensões de coração, capacidade cardíaca e

pulmonar, menor tolerância ao calor. Os autores destacam ainda o fato de que existe uma

resposta fisiológica do aparelho reprodutor em função de um treinamento muito

extenuado.

Aspectos como estes são decisivos para que os profissionais envolvidos com o

treinamento de público feminino percebam a necessidade de padrões de planejamento

técnico, tático e físico que respeitem essas características. Evitando se desta maneira

uma simples reprodução de padrões de treinamento para equipes masculinas.

– aspectos sócio-culturais: Alguns autores como Daolio (1997) nos apresentam a idéia de

existe uma construção cultural da imagem do corpo feminino. Neste quadro, valorizam-se

culturalmente determinados gestos e comportamentos em detrimento de outros que não

seriam tão aceitos dentro de uma determinada cultura. O caso do futebol feminino é um

bom exemplo de como em culturas distintas (como a americana e a brasileira, por

exemplo), tenhamos dois padrões totalmente distintos de aceitação cultural em torno de

uma modalidade. Knijnik e Vasconcelos (2003) acrescentam ainda que o futebol feminino

tinha sua prática proibida pelo CND (Conselho Nacional de Desportos), até 1979. Em

contrapartida, Barnes e Oliver (2003) informam que, influenciadas pela conquista da copa

do mundo feminina de 1999 pelos EUA, as meninas americanas aumentaram sua

participação em equipes recreacionais de futebol (soccer) na região de Washington, DC,

por exemplo.

Este projeto buscará se pautar nas questões levantadas acima no desenvolvimento deste

projeto de trabalho. O incentivo financeiro governamental, através da Lei de incentivo ao

esporte é importante para este projeto uma vez que o público alvo deste projeto (em

especial, alunos da rede pública de ensino) tem pouco acesso a trabalhos nesta

perspectiva.

Importante destacar, enquanto justificativa, que o projeto aqui apresentado, já parte de

uma estrutura pré-existente, em Mogi Guaçu, com apoio da secretaria municipal de

esportes, parceira do projeto (vide carta anexa de apoio ao projeto), e que busca atender

voluntariamente às crianças e jovens de Mogi Guaçu.

Embora a cidade seja considerada uma das principais da região, em desenvolvimento

econômico, social e educacional (ver valores de IDH abaixo) ainda guarda lacunas e

carências de espaços públicos com trabalhos sistematizados e de qualidade para

promoção do esporte. Faz-se importante a mobilização da população em idade e

acompanhamento escolar, através de projetos como este. Apresentamos abaixo alguns

dados de Mogi Guaçu – fonte (http://pt.wikipedia.org/wiki/Mogi_Gua%C3%A7u):

Dados do Censo 2000

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,813

Saúde

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 12,75

Expectativa de vida (anos): 72,98

IDH-M Longevidade: 0,800

Educação

Taxa de alfabetização: 92,88%

IDH-M Educação: 0,886

População total: 148.987

Urbana: 148.987

Rural: 0

o Homens: 73.646

o Mulheres: 75.341

Densidade demográfica (hab./km²): 554,8

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 15,00

Expectativa de vida (anos): 71,69

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,13

Taxa de alfabetização: 92,95%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,826

IDH-M Renda: 0,786

IDH-M Longevidade: 0,778

IDH-M Educação: 0,913

(Fonte: IPEADATA)

Estes dados apresentam a idéia de que projetos como este na cidade, podem continuar

contribuindo para melhorias na perspectiva de inclusão e promoção social, através do

esporte, em Mogi Guaçu

Sendo assim, esperamos com este projeto, contribuir para melhorias na perspectiva de

inclusão e promoção social, através do esporte, em especial para o público feminino, na

cidade de Mogi Guaçu, que apesar dos esforços governamentais, ainda apresenta uma

carência de projetos esportivos para atendimento de uma grande massa social, uma vez

que as ações de atendimento social, não acompanharam o adensamento populacional

urbano, principalmente na última década.

Em contraposição a este cenário, levamos em consideração que estamos propondo atuar

numa das regiões mais ricas do país, se pensarmos na quantidade e importância de

empresas e indústrias aqui instaladas e que, potencialmente, poderiam se tornar parceiras

de projetos que beneficiariam a mesma comunidade em que estão instaladas.

Perspectiva inclusive confirmada com cartas de empresas que pretendem apoiar ao

projeto, anexadas a esta documentação.

Metas Qualitativas:

Estruturar um planejamento de trabalho adequado do ponto de vista técnico-esportivo e

motor específicos, e com metas diferentes para cada faixa etária. Esta meta será avaliada

através de análise por parte dos coordenadores do projeto, dos planos de aula e de

planejamento bimestral (documentos anexados a este processo;

Ampliação das relações entre comunidade beneficiada e instituições que apóiam este

projeto. Esta meta será avaliada através de análise por parte dos coordenadores do

projeto, dos relatórios de reunião com pais;

Promover campanhas educacionais objetivando o atendimento de famílias, jovens e

crianças, no que diz respeito à promoção da necessidade de estudo e de boas relações

no ambiente familiar. Esta meta será avaliada através de análise por parte dos

coordenadores do projeto, dos relatórios de reunião e outros eventos com pais;

Implantar uma secretaria geral gestora do projeto, para que esta possa ser um espaço

fomentador da continuidade do projeto em anos futuros. Esta meta será avaliada através

da documentação de freqüência dos profissionais administrativos e encaminhamentos de

trabalho dos mesmos, registrados por escrito;

Promover a interação e integração entre as diversas áreas direta e indiretamente

envolvidas e que somadas geram resultados mais aprofundados, como educação física,

administração e comunicação. Esta meta será avaliada através dos relatórios de reuniões

gerais entre as áreas, a serem promovidas com todos estes profissionais;

Metas Quantitativas:

Pretende-se atender cerca de 100 jovens e crianças, divididos por faixas etárias, em

horários de trabalho, que atenda a cada faixa, duas ou três vezes por semana. Esta meta

será avaliada a partir do cadastramento de todas as crianças envolvidas e do controle de

freqüência a ser registrado diariamente;

Capacitação de 02 monitores para o desenvolvimento dos trabalhos em parceria com

instituições superiores de ensino. Esta meta será avaliada através de relatórios de

observação dos monitores a serem confeccionados pelos professores envolvidos;

Envolver e qualificar 04 profissionais de educação física, responsáveis pelo projeto Esta

meta será avaliada através de relatórios de observação dos professores a serem

VIII. METAS QUALITATIVAS E QUANTITATIVAS – Apresentar as metas de qualidade

(quais os resultados e benefícios a serem alcançados, mensuráveis não numericamente)

e as metas de quantidade(mensuráveis numericamente), ambas com respectivos

indicadores(de que forma as metas serão aferidas) de acordo com os objetivos

propostos.

confeccionados pelos coordenadores envolvidos.

Desenvolver e participar de 01 eventos esportivos (um a cada mês) municipais ou

regionais, compatíveis com a proposta educacional do projeto. Esta meta será avaliada

através de relatórios de avaliação e de observação das atividades propostas,

confeccionados pelos diferentes níveis de profissionais envolvidos com a atividade e

também confeccionados pelos alunos participantes, por amostragem;

Localizar o projeto entre os 5 melhores projetos de esporte educacional do estado de SP.

Esta meta será avaliada através de visitas de diagnóstico a projetos de futebol feminino

reconhecidos pela Federação Paulista de Futebol Amador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *